Load Ajax

Duca Leindecker

Duca Leindecker nasceu em Porto Alegre, em 1970. Iniciou sua carreira artística aos treze anos e, de lá para cá, construiu uma sólida trajetória como instrumentista, compositor, produtor artístico e escritor.

No início dos anos 90 foi convidado por Bob Dylan para, juntamente com Frank Solari, viajar pelo Brasil. Ganhou quatro troféus Açorianos de música.

Seu primeiro livro, A Casa da Esquina, se tornou um best-seller, com mais de 12 edições.

O segundo, A Favor do Vento, já tem roteiro adaptado para o cinema. Sua obra tem amplo trânsito nas escolas e universidades.

Em 2013, lançou seu terceiro livro, O Menino que Pintava Sonhos.

Além da música, Duca Leindecker também apresenta uma Palestra Pocket, da qual é organizada em três partes:

1. Música e Literatura - traça um paralelo entre os estilos de música e de literatura criando assim um elo entre a gurizada e a literatura.

2. Opção Profissional - fala da importância e das conseqüências dessa escolha.

3. Sexo, Drogas e Rock'n Roll - aborda a problemática das drogas com leveza, a vulgarização da imagem do sexo e ao final da uma canja (principais músicas de sua carreira) que ilustra o Rock'n Roll.

Foto da literatura Livro A Casa Da Esquina (Nova Capa)

Livro A Casa Da Esquina (Nova Capa)

Editora: L&PM

A Casa da Esquina é uma balada, ou um blue – como convém a um músico - , sobre encontros, descobertas e principalmente sobre a perda. A emoção contida, a narração fluente faz com que de forma simples, direta ele aborde grandes questões como a infância, a família e especialmente o mistério das descobertas de uma criança e o imenso vazio de uma perda essencial. A Casa da Esquina é um desses livros em que o leitor certamente encontrará identificação. Ao transmitir emoção, Duca Leindecker ao mesmo tempo fala a linguagem do seu tempo, cita ícones pops que fizeram sonhar gerações, percorre as ruas de uma cidade que passou e consegue – na mágica dimensão da literatura – emocionar seus leitores com uma história sobre a vida como ela é.

Foto da literatura Livro A Favor do Vento

Livro A Favor do Vento

Editora: L&PM

O vento nordeste varre a imensidão desolada da costa. A areia fina arrastada pela violência do vento fustiga o caminhante solitário. O mar e o céu estão cinzas como a sua alma. Em pleno inverno gelado do Rio Grande um homem se refugia no litoral com suas lembranças e seus delírios. Sonhos, guitarras, os olhos negros de Helena e a névoa confusa do seu passado se entrelaçam nesta angustiante busca de si mesmo. É um livro que prende do começo até a última linha, quando o leitor se defronta com um final inesperado. Os bastidores do rock and roll e os abismos da alma sofrida de um jovem músico contracenam nesta história tão surpreendente quanto fascinante.

Foto da literatura Livro O Menino Que Pintava Sonhos

Livro O Menino Que Pintava Sonhos

Editora: L&PM

Duca Leindecker conseguiu emocionar milhares de leitores com seu livro de estreia, o belo A Casa da Esquina. Depois escreveu A Favor do Vento. Em ambos, a mesma segurança, o mesmo talento com que emociona e faz vibrar as plateias como um dos grandes músicos brasileiros. Há baladas e rock and roll como fundo para suas histórias. Há medos, ilusões, euforias e tristezas que são, de resto, as grandes emoções que agitam os corações dos jovens. Tudo isto está presente nos livros de Duca Leindecker. O Menino Que Pintava Sonhos é uma história sobre ilusões e verdades. Ou verdades e mentiras, se nos apegarmos às duras lições da realidade. Duca escreve com raro talento para o público jovem. E estando na mesma frequência, ele comove e emociona com suas histórias que são simples por um lado, mas ao mesmo tempo têm um infinito emaranhado de significados. Veja o caso de Jules. Ele vive uma vida pouco comum, num cotidiano difícil, se defendendo das tragédias, dos dramas familiares e dos percalços do dia a dia. Mas Jules tem que sobreviver. E ele faz a sua opção, como você verá nesta história que vai prendê-lo da primeira à última página. E vai mostrar que, se há um lado sombrio na vida, sempre haverá uma porta aberta para a esperança.